Comissões de Atingidos fazem primeira visita às obras da Fundação Renova

Publicado em: 30/10/2018

Comissões visitam Canteiro de Obras da Fundação Renova (Patrícia Castanheira/Centro Rosa Fortini)

O dia 24 de outubro deste ano fica marcado por mais um avanço conquistado graças à luta dos atingidos. Na última quarta-feira, integrantes da Comissão de Atingidos de Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado/Chopotó realizaram a primeira visita técnica à Fazenda Floresta, o Canteiro de Obras da Fundação Renova). A ação, agora, se tornará rotina, já que a fundação se comprometeu a abrir o espaço a cada 15 dias.

Os integrantes da comissão foram acompanhados pela Assessoria Técnica Rosa Fortini e foram recepcionados pelo especialista em Projetos e Obras, Rodrigo Gazola; pelo inspetor civil, Adalberto Luiz da Silva; e pelo membro da equipe de Diálogo, Bruno Caixeta Pimenta.

O primeiro local visitado foi o chamado dique intermediário. O local está em obras, mas a Renova ainda não definiu se a área será utilizada para passagem do rejeito até o dique principal. A possibilidade de bombear o rejeito diretamente para o dique principal está sendo avaliada. De acordo com Gazola, todos os cinco setores (8, 6, 5, 4, 3) onde existe estoque de rejeito serão descomissionados*, ou seja, apesar do setor estar fechado, continuam sendo monitorados visando a proteção do meio ambiente.


Visitas ocorrerão de 15 em 15 dias, com acompanhamento da Assessoria Técnica (Patrícia Castanheira/Centro Rosa Fortini)

 

Logo em seguida, a equipe foi até o dique principal, para onde a Fundação Renova pretende transportar o restante do rejeito. “A dragagem está paralisada há três meses, no entanto, ainda temos que retirar cerca de 1 milhão m³ dos primeiros 400 metros da barragem da UHE Candonga. Já retiramos 1,2 milhão m³”, afirmou Rodrigo. O local terá uma cota de aproximadamente 390 metros de altura. Em seu entorno, várias áreas foram cobertas com biomantas para proteger os taludes. Também foram abertas vias para facilitar os trabalhos de sondagens.

Ao final da visita, a equipe conheceu duas bacias construídas para tratar a água proveniente dos diques. Esta água será lançada de volta ao rio Doce. Segundo informações da Instituição, o tratamento será realizado com polímeros.  No momento, o processo está em teste com a água dragada direto do rio Doce.

Representando a Comissão de Atingidos de Santa Cruz do Escalvado/Chopotó, esteve presente a engenheira ambiental Viviane da Cunha Ângelo Lima; e, da Comissão de Atingidos de Rio Doce, José Márcio Lazarini e José Ribeiro Neto.

“Essas visitas quinzenais que acontecerão é mais uma conquista importante das Comissões de Santa Cruz do Escalvado e Rio Doce, pois muito se fala e se ouve a respeito das obras na Fazenda Floresta, e isto deixa os atingidos receosos e com dúvidas. Com as visitas, dúvidas serão esclarecidas e os atingidos ficarão mais tranquilos”, afirmou Viviane.

Acompanhou os atingidos a engenheira ambiental Marina Pereira Martins de Lima, assessora técnica do Centro Rosa Fortini. “É de extrema importância os estudos de soluções sustentáveis para os rejeitos que estão empilhados na Fazenda Floresta. Posteriormente, este material poderá ser utilizado em benefício dos próprios atingidos”, explicou Marina.

A equipe foi apresentada ao José Luiz Furquim, gerente executivo das obras da Fundação Renova; e ao Willians de Souza Arruda, novo líder do canteiro de obras da Fazenda Floresta.

*Descomissionamento: Conjunto de operações necessárias para a perfeita garantia da desativação da obra, visando devolver o local para outros usos pela comunidade.

(Reportagem escrita pela Equipe de Comunicação da Assessoria Técnica Rosa Fortini)



Compartilhe: